Ma. Diana Roque

Com a emancipação, vocês acham que ainda há preconceito na participação das mulheres?
Independente de preconceitos, as mulheres estão ganhando cada vez mais espaço na ciência e a representatividade importa! Nós temos cada vez mais exemplos brilhantes de mulheres na ciência, vejam os próprios nomes dos grupos de vocês! Mulheres cientistas que deixaram a sua marca. Um dado muito interessante é o fato de que o Brasil é um dos países mais igualitários na proporção de homens e mulheres em publicações acadêmicas (para quem quiser ler um pouco mais, aqui vai a referência desse dado que eu citei: “Gender in the Global Research Landscape”).

Com que idade a senhora percebeu que queria ser CIENTISTA?
Desde pequena eu sempre gostei de estar em contato com a natureza, rodeada de plantas no jardim da casa da minha avó, tínhamos uma cachorrinha também quando éramos pequenos (eu e o meu irmão gêmeo), meus amados pais, Maria Inês e Ricardo, sempre nos levavam em exposições e museus e esse mundo sempre me atraiu muito! Então, eu sinto que essas experiências me proporcionaram um encantamento pelo mundo, pela diversidade de organismos que temos em nosso planeta! E eu quis entender melhor como isso tudo funcionava, por isso, optei por fazer faculdade de Biologia e aí foi que comecei a trilhar o meu caminho na ciência.

Como você descobriu a área da ciência que queria participar?
Eu fui descobrindo experimentando e conhecendo as áreas durante a faculdade. Eu me permiti trabalhar como pesquisadora, como monitora das disciplinas que eu amava estudar (“Evolução de órgãos e sistemas animais” era a minha matéria favorita!), organizei eventos como “Semana da Biologia”, na faculdade você tem um universo de possibilidades! Naturalmente você percebe que tem afinidade por alguns assuntos específicos mais do que por outros! Então, uma dica que eu preciso deixar aqui é: sinta o que vibra com você! Se você ouve falar em um assunto específico e ele te chama muita atenção, não, não é à toa.

Qual é a sensação de descobrir algo novo? Ainda tem muitas coisas pra serem descobertas?
É muito bom quando você consegue atingir o objetivo da sua pesquisa! Quando você consegue obter a resposta para a sua pergunta de pesquisa é uma sensação de missão cumprida! E você já começa a pensar em uma próxima! E, sim, existem muitas coisas ainda para serem descobertas! Em todas as áreas! Tem bastante trabalho e oportunidades para vocês, meninas! Venham! ?

Na área da ciência tem que fazer muitos cálculos ou são coisas mais práticas?
Senta que lá vem história… (risos) Matemática é um conhecimento fundamental para todas as ciências. Por exemplo, quando eu trabalhava como aluna de iniciação científica em um laboratório na Universidade Católica de Brasília, onde o foco das pesquisas era a purificação de proteínas, eu tinha que fazer cálculos para preparar soluções, para preparar os meios de cultura onde eu iria inocular as bactérias que eu queria testar. Então, por mais que o foco do meu trabalho não fosse a matemática, ela estava sempre presente. Por isso, vale a pena dar uma boa atenção a ela se você gosta da área da ciência! ?

Qual foi a reação da sua família quando soube que a senhora queria ser cientista?
Durante a faculdade de Biologia, desde o segundo semestre, eu já comecei a atuar na pesquisa como estudante de Iniciação Científica, recebi uma bolsa pelo CNPq (uma das importantes agências que financiam a pesquisa em nosso país) e segui pesquisando durante toda a minha graduação. Se eu for pensar no momento exato em que decidi ser cientista, foi nesse primeiro contato com a pesquisa, no 2º semestre da faculdade. Mas saiba, se você quiser, você pode já começar a fazer pesquisa ainda no Ensino Médio, lembram do exemplo da Juliana Estradioto, no vídeo-inspiração dessa semana?

Você já pensou em desistir por causa de insultos ?
Eu reconheço que a área da pesquisa é importante para mim, para que eu me desenvolva como professora e pesquisadora e isso trará benefícios para todos! Por isso, nenhum desafio até hoje foi maior do que a minha vontade de continuar!

Como vocês, cientistas, reagem aos pensamentos machistas nas suas áreas?
Muitas pessoas retratam situações nesse sentido, o melhor que podemos fazer é relembrar do porquê estamos fazendo aquilo que fazemos e reforçar esse ponto dentro de nós, assim retomamos o caminho e seguimos em direção ao nosso objetivo!

Vocês como cientistas, como absorvem tantos conteúdos?
Os cientistas têm muita dedicação no que fazem, assim como em qualquer outra profissão, é preciso estudo para ir se aprimorando e se tornar cada vez mais útil para a sua área. E na ciência principalmente, tudo é muito dinâmico! O que se sabia há pouco tempo sobre o nosso sistema solar, por exemplo, já ficou obsoleto. Por conta do desenvolvimento da tecnologia, temos equipamentos e sondas cada vez mais elaboradas e com maior potencial de nos fazer entender melhor o nosso próprio meio. Por isso, estar sempre atualizado sobre assuntos na sua área, seja ela qual for, é fundamental!